ano novo em folha

E o primeiro dia de 2018 é uma segunda-feira.

Pra começar bem, o inicio do ano é também o início da semana. Esse detalhe me lembrou desse post, que escrevi alguns anos atrás. O ano novo é uma nova oportunidade, como são todas as segundas-feiras e os amanheceres. Com eles nascem um outro tempo, diferente dos outros dias, embora nunca independente do que já foi, mas ainda silencioso. Quieto, mas pronto para começar.

A folha seca, não aquela amarelada, mas sim a alva como o papel branco. Uma folha, um papel.  Uma folha seca: um papel sem uma gota de cor, sem um único pingo de tinta. A folha em branco traz consigo o silêncio. O murmurar por uma nova palavra. O pedido por um primeiro risco. O grito por todo um infinito a ser criado.

Um papel em branco, uma folha seca. Um ano novo é um papel em branco. Uma folha seca esperando para ser encharcada de tinta. Os dias começam  branco, mas podem ser cheios de cor, de palavras, de misturas e  tudo mais o que puder ser inventado.

Desejo que esse ano seja novo e bem inventado, todos os dias.

( Uma pequena menina inspirou este texto, na sua ânsia por um novo desenho ela aprendeu a pedir para a sua tia desenhadora, uma nova folha de  papel a cada 5 minutos. E pede, na sua voz de criança por uma folha seca, bem sequinha.)

“texto e ilustração de Graci Campos, protegidos pela lei de direito autoral, quando compartilhar cite a autora”